terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Saiba mais sobre o sistema 3x1 no Futsal

    O Brasil é o país do futsal tanto quanto do futebol, principalmente em relação à prática deste esporte. A identificação do povo brasileiro com o futebol, as muitas quadras públicas ou particulares existentes, a grande utilização do futsal nas aulas de educação física e o número reduzido de jogadores necessários a prática desta modalidade são alguns dos fatores que contribuem para sua importância em nosso país. O termo sistema tático é utilizado para descrever o posicionamento dos jogadores em quadra de acordo com a função exercida por cada um. Este posicionamento tático está intimamente relacionado às ações dos adversários. Veja como é um desses esquemas usados no Futsal o 3x1.
http://www.efdeportes.com/efd171/treinamento-do-sistema-de-ataque-no-futsal-01.jpg
O sistema 3x1 é responsável pela nomenclatura das posições adotadas no futsal. Além do goleiro temos o fixo, os alas (direito e esquerdo) e o pivô. É um sistema de movimentações bem mais complexas que o anterior (Garcia & Failla, 1986; Lucena, 1994; Mutti, 1994; Santana, 2001; Souza, 1999).

O pivô tenta "despistar" ou "tomar a frente" do seu marcador para receber a bola de seus companheiros na meia-quadra ofensiva. Os alas e o fixo realizam movimentações para criarem espaços onde a bola possa ser lançada ao pivô, que joga de costas para o gol adversário e, por isso, tenta dominar e preparar a bola para seu companheiro ou, dependendo da situação, girar em cima de seu marcador para finalizar a gol. Esta movimentação realizada pelo fixo e pelos dois alas é denominada rodízio. Com o rodízio uma equipe mantém a posse de bola até o momento ideal de tocá-la ao pivô ou finalizar (Lucena, 1994; Mutti, 1994; Souza, 1999).

As funções são definidas para cada posição:

Fixo: último homem da defesa. Responsável pela proteção da meta e armação das jogadas (Lucena, 1994; Souza, 1999);

Alas: elos de ligação entre a defesa e o ataque (armação), auxiliares do fixo na contenção do ataque adversário e do pivô nas finalizações (Lucena, 1994; Souza, 1999);

Pivô: ponto de referência das jogadas ofensivas. Responsável pelas assistências aos companheiros, por finalizações a gol e pela flutuação central na marcação, fechando o meio da quadra e impedindo o lançamento para o pivô adversário (Lucena, 1994; Souza, 1999).

Este sistema apresenta constantes movimentações e trocas de posições e funções, principalmente por parte dos três armadores: o fixo e os dois alas. O pivô, por sua vez, apresenta uma função mais definida, ficando quase sempre na meia-quadra ofensiva e, portanto, fora destas trocas, ou melhor, do rodízio.

Fonte

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Kit com treinamento completo de Futsal com brinde!




Estar atualizado no treinamento em esportes, seja qual esporte for é uma vantagem de qualquer treinador. E no FUTSAL não é diferente.

Esse kit com 8 dvds que o site DVDs Sports tem é bem completo.  Os DVDs que tem nessa relação são:

Treinamento Tático
Treinamento Técnico
Treinamento Defensivo
Treinamento de Goleiros
Jogadas ensaiadas - Teoria
Jogadas ensaiadas no Tiro Lateral
Jogadas Ensaiadas no Tiro de Meta
Jogadas ensaiadas em Cobrança de Falta

E comprando esse KIT até dia 18/12/2105 você ganha grátis um brinde, que é um DVD de Treinamento de Pliometria.

Não perca essa oportunidade e clique aqui para saber mais e adquirir o seu kit


Publieditorial


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Etapas de treinamento no Futsal

http://src.odiario.com/imagem/dc/media/webmedia/files/es_r_jeem_futsal_infantil_5.jpg

As etapas de treinamentos ao longo da vida de um atleta dependem da intervenção do treinador e os devidos objetivos pré-estabelecidos, que irão desde a preparação inicial até a busca de resultados mais expressivos (aperfeiçoamento) conforme segue:

1) Etapa de preparação preliminar: etapa onde será desenvolvido o aluno como um todo, a sua preparação física e de suas qualidades/capacidades motoras, a idade nessa fase varia de atletas de 8 a 10 anos. Para FILIN (1996) A formação dos hábitos motores é a base necessária para o aperfeiçoamento subseqüente dos movimentos racionais e aperfeiçoamento do sistema motor.

2) Etapa de especialização inicial: corresponde ao período do treinamento em que as situações específicas da modalidade começam a ser ressaltadas, onde é iniciada na faixa etária de 13 a 15 anos. Para FILIN (1996), o objetivo do treinamento nesta etapa é a preparação física total e o início da formação fundamental da preparação especial, o que vai garantir o sucesso na modalidade escolhida nesse período.

3) Etapa de especialização aprofundada: é o período em que todas as capacidades técnicas, físicas e táticas são amplamente ressaltadas, onde nessa fase os atletas estão com 16/17 anos com início da fase adulta. Para MATVEEV (1992) o objetivo do treinamento volta-se ao aproveitamento das potencialidades do atleta, existe um aumento do volume dos treinos, visando o máximo de aproveitamento destes aspectos.

4) Etapa de resultados superiores: segundo ZAKHAROV (1992), o objetivo desta etapa é a obtenção de resultados superiores (máximos individuais) em sua modalidade, logo a necessidade da faixa etária ser a partir dos 18 anos, onde será feito a manutenção dos resultados. Acontece uma redução do período de preparação, aumentando o período de competição.

5) Etapa de manutenção dos resultados: volta-se a manutenção do potencial adquirido anteriormente, o alto nível dos resultados adquiridos é trabalhado como forma de mantê-los e se necessário melhorá-los, com início da fase adulta após os 18 anos. De acordo com SANTANA (1994), quanto mais complexa a estrutura da atividade competitiva e maior o número de fatores que determinam a sua eficiência, quanto menor a influencia da idade sobre esses aspectos, mais prolongada poderá ser a etapa de manutenção dos resultados.

Vi aqui

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A importância da prática do futsal na Educação Física Escolar

 
http://static.ibiaca.rs.gov.br/imagens/jogo_de_integracao_-_golaco_educativo_w5t6w.jpg

    Comportamentos do ser humano, assim como suas habilidades inatas podem e devem ser desenvolvidos através da educação, essencialmente na Educação Física. Segundo Baseggio (2011), as atividades realizadas em aulas, principalmente os jogos desportivos são instrumentos facilitadores do desenvolvimento global da criança e do adolescente.

    A prática das atividades físicas na Educação Física escolar favorece aspectos como melhora dos processos mentais, a integração do indivíduo ao grupo, autoconhecimento, percepção corporal, temporal e espacial, domínio das habilidades e destrezas físicas entre outros. Corroborando com a idéia, podemos citar que:

    Os principais objetivos da Educação Física é o despertar para o prazer de aprender a aprender; Potencializar a capacidade de criar e recriar situações de aprendizagem; ampliar a capacidade de comunicação; Prevenir dificuldades relacionais, emocionais, motoras e de aprendizagem; Incentivar a autoestima e facilitar a socialização; Prevenir dificuldades relacionais de desenvolvimento e de aprendizagem; Exercer uma prática terapêutica no caso de dificuldades relacionais de desenvolvimento e de aprendizagem já instalados; oportunizar uma estruturação mais saudável da personalidade; Estimular posturas positivas frente a si, ao outro e ao mundo (SANTOS, 2007, p.9).

    Dessa forma, entendemos que as aulas de Educação Física na escola não servem para trabalhar apenas os aspectos físicos das crianças, elas devem trabalhar os movimentos de modo que ultrapassem o biológico ou o objetivo de desempenho e, dessa forma, devem assumir o papel de formadoras de cidadãos, buscando condutas mais cooperativas e participativas.

    Os valores alcançados através do jogo esportivo, como a interiorização das regras, a colaboração, a aceitação da autoridade, a disciplina, a iniciativa e a superação de si mesmo, configuram uma constelação de condutas positivas, construtivas e integradoras, que se encontram presentes no sistema de valores que cada um assume para si mesmo e com sua maneira de viver (BASEGGIO, 2011, p.6).

    Observamos como conteúdo nas aulas de Educação Física escolar a prática dos esportes. Faz-se extremamente necessária a oportunidade de vivência de diversos esportes por parte dos alunos a fim de um melhor desenvolvimento global da criança e do adolescente. Entre os esportes praticados o futsal é muito popular e ganhou a preferência de muitos. É um esporte que traz certa facilidade para ser executado visto que necessita apenas de uma bola, de um espaço e de jogadores.

    Atualmente, o futsal é o esporte que possui o maior número de praticantes no Brasil. No mundo, são mais de setenta países que praticam esse esporte em quatro continentes, tendo como destaque Paraguai, Espanha, Portugal, Itália, Austrália e Rússia (VOSER, 2004, p. 16 e 27).

Objetivo

    Sabendo-se da popularidade do futsal de forma geral, tal como nas aulas de Educação Física, o objetivo do presente estudo foi fazer uma análise da importância da prática do futsal para o desenvolvimento global da criança e do adolescente, levando em consideração aspectos físicos, psicológicos, motores, cognitivos e sociais.

Metodologia

    Foi realizada uma revisão de literatura na qual foram pesquisados artigos científicos contendo as palavras-chave futsal, psicomotor, social, cognitivo, desenvolvimento, educação física.

Desenvolvimento

    O futsal é um esporte mundialmente famoso. Segundo Baseggio (2011) acredita-se que surgiu das peladas de várzea que começaram a ser adaptadas às quadras de basquete e pequenos salões na década de 30 no Uruguai. No Brasil foi introduzida através da Associação Cristã de Moços (A.C.M.), em São Paulo entre os anos de 1948/49, a dedicação foi tanta que logo conseguiu o reconhecimento popular e tornou-se um esporte oficial. Nas décadas de 60 e 70, o Futsal começou a ser regulamentado e ganhar o continente. Por fim, criou-se então a Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA), no Rio de Janeiro, hoje funcionando dentro da Federação Internacional de Futebol (FIFA).

    Infelizmente, em alguns lugares, não apenas o futsal, mas diversos esportes são vistos e tratados apenas com a função de alcançar a técnica perfeita, buscando o desempenho. Entretanto, a prática esportiva principalmente para as crianças vai além dessa visão.

    O conceito de esporte, hoje, é restrito, pois se refere ao esporte que tem como conteúdo o treino, a competição, o atleta e o rendimento esportivo. Diante destas perspectivas, fica claro não ser saudável que o esporte entre na vida de uma criança apenas com o referencial de competição e rendimento. A criança mantém uma relação com o esporte muito mais afetiva e prazerosa do que eficiente e utilitária (VOSER, 2004, p. 22 apud KUNZ, 1994).

    Segundo Gardner (1999) um dos objetivos da educação é a transmissão de valores culturais, portanto, o futsal como uma prática tradicional em nosso contexto cultural, pode compor uma aula de Educação Física.

    Nesta perspectiva, o movimentar-se é entendido como uma forma de comunicação com o mundo que é constituinte e construtora de cultura, mas também, possibilitada por ela. É uma linguagem, com especificidade, é claro, mas que enquanto cultura habita o mundo do simbólico. A naturalização do objeto da EF por outro lado, seja alocando-o no plano do biológico ou do psicológico, retira dele o caráter histórico e com isso sua marca social. Ora, o que qualifica o movimento enquanto humano é o sentido/significado do mover-se. Sentido/significado mediado simbolicamente e que o colocam no plano da cultura (BRACHT, 1996, p.24 apud Betti, 1995).

    Nas aulas, o ensinamento do futsal não deve ser feito apenas com o intuito de ensinar a técnica. Ele deve ser capaz de trabalhar diversos aspectos que serão de extrema importância para o desenvolvimento global da criança e do adolescente, podendo desenvolver habilidades físicas, motoras, cognitivas, psicológicas, sociais.

    As atividades físico-desportivas "futsal" entendidas como atividades naturais de movimento, jogo e confraternização são elementos básicos para a educação das pessoas e possuem funções altamente pedagógicas que podem incidir no desenvolvimento equilibrado e harmônico do ser humano (BASEGGIO, 2011, p.10 apud VARGAS NETO, 1995).

    Muitos dos estímulos que as crianças recebem vêm através do meio em que elas vivem. Dessa forma, o futsal deve ser praticado tanto de uma maneira performática quanto de uma maneira lúdica, como é geralmente abordado na escola, permitindo às crianças uma maior vivência dos movimentos corporais.

    Na Educação Física e na iniciação desportiva há a presença de prática de atividades desportivas e corporais que estimulam de forma direta os aspectos cognitivo, afetivo e psicomotor da criança, e como é conhecido, criança é "movimento". Tendo isso em vista o melhor a se fazer é usufruir do movimento como meio de possibilitar a expressão e criatividade à criança (PASSARO, 2005, p.16).

    A maneira pela qual o futsal é ensinado na Escola tem grande relevância. O aluno é um ser em desenvolvimento e precisa ter seus limites respeitados. Tendo em vista que não é um ser apenas biológico, mas também social, o papel do professor é essencial.

    A educação física reafirma seu papel de colaboradora na formação das crianças como um todo, dispondo de um espaço muito rico para discussões e reflexões dos vários conflitos entre valores que existem na escola. Ficou-nos clara a importância do professor neste processo de formação que deverá, conscientemente, assumir e representar o papel de orientador no desenvolvimento de atitudes, servindo como um modelo e como referência de diálogo (GUIMARÃES et al, 2001, p.6).

    Também cabe ao futsal, como elemento constituinte das aulas de Educação Física, promover benefícios em diferentes esferas na vida de cada aluno.

    Sendo assim, pode-se dizer que a Educação Física possui um impacto positivo no pensamento, no conhecimento e ação, nos domínios cognitivos, afetivos e sociais, ou seja, na vida do ser humano como um todo. Entretanto é importante afirmar que o individuo plenamente desenvolvido a partir do movimento consegue construir uma vida ativa, saudável e produtiva, criando uma integração segura e adequada e de desenvolvimento harmônico entre corpo, mente e espírito (SERAFIM, 2008, p.4).

Considerações

    A partir do apresentado no estudo podemos concluir que o futsal é uma ótima ferramenta para os professores nas aulas de Educação Física, visto que permite a exploração de diversas possibilidades de acordo com os objetivos a serem alcançados. A fase escolar em que a prática do esporte geralmente é iniciada constitui uma fase da vida em que a criança e o adolescente estão passando por amadurecimento tanto no sentido biológico, quanto no psicológico e no social. Dessa forma, o cuidado com o modo pelo qual o esporte é ensinado faz-se extremamente importante, cabendo ao professor de Educação Física ficar atento a essas questões.

    É importante ressaltar que sua prática não deve ser vinculada apenas ao ensinamento da técnica e em busca do alto rendimento, mas sim ao desenvolvimento de diferentes aspectos que serão de extrema importância para um melhor desenvolvimento global da criança e do adolescente e que serão essenciais na vida adulta.

Autores:

Juliana Cavestré Coneglian e Eduardo Rodrigues da Silva

Email para contato: jujuconeg@gmail.com

Referências

BASEGGIO, T.S. Oficinas sócio-educativas de futsal como ações complementares no processo educacional. Ebookbrowse, 2011.

BRACHT, V. Educação Física no 1º grau: conhecimento e especificidade. Rev. paul. Educ. Fís., São Paulo, supl.2, p.23-28, 1996.

GARDNER, H. O verdadeiro, o belo e o bom: os princípios básicos para uma nova educação. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999.

GUIMARÃES, A.A. et al. Educação Física Escolar: Atitudes e valores. Motriz Jan-Jun 2001, Vol. 7, n.1, pp. 17-22.

PASSARO, E.S. Desenvolvimento das capacidades coordenativas como base do aprendizado da técnica em iniciantes em futsal. [Monografia]. Batatais, 2005.

SANTOS, J.P.G. A importância da Educação Física no desenvolvimento da psicomotricidade. [Monografia]. Rio de Janeiro, 2007.

SERAFIM, P.A. et al. Educação Física e psicomotricidade: uma relação fundamental no desenvolvimento humano. Laboratório de Atividades Lúdico-Recreativas (LAR) da UNESP/Presidente Prudente, 2008.

VOSER, R.C. Iniciação ao futsal. Abordagem recreativa. 3ª ed. Canoas: ULBRA, 2004. p. 11-24.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Habilidades do Goleiro no futsal

http://s.glbimg.com/es/ge/f/original/2013/06/27/orlandia_x_glucosoral6.jpg

Os goleiros de futsal tem algumas características importantes, tanto defensivas quanto ofensivas. Dentre essas características, estão: pegada, reposição, lançamento, defesas altas, defesas baixas, saídas de gol, jogo de quadra.

Defensivas

1. Pegada: é quando o goleiro faz, com as mãos, uma resistência à bola. Quando a bola vem alta, os polegares do goleiro devem voltar-se para dentro. Quando a bola vem baixa e rasteira, os polegares devem voltar-se para fora. E para bolas vindas a altura do tronco, o goleiro deve fazer o encaixe.

2. Defesas altas e baixas: as que são realizadas da linha do quadril para cima.

Enquanto as defesas baixas são do quadril para baixo. Relevante que estas defesas dependerão, minimamente, de duas variáveis: força e velocidade da bola.

Observe:

- para bolas fortes e velozes que vêm na direção do goleiro, sugere-se espalmar.

- Se a bola vier fora do alcance do goleiro, sugerem-se quedas laterais e saltos.

- Para bolas fracas e lentas: sugere-se a pegada.

Ofensivas

1. Reposição: acontece quando, com o uso das mãos, o goleiro coloca a bola em jogo na sua meia-quadra. A reposição deve visar um companheiro bem colocado ou um espaço livre. Deve ser feita com segurança, não expondo a equipe a investidas do adversário.

2. Lançamento: é diferente da reposição apenas num ponto: é feito na meia-quadra de ataque. Com a nova regra do arremesso de meta, onde não é necessário repor abola na sua meia-quadra defensiva, esta habilidade será ainda mais utilizada.

3. Jogo de quadra: caracterizado pela utilização das habilidades domínio(recepção), passe, chute e drible (se for na quadra de ataque). Tanto melhor se o goleiro for hábil nas quatro. Entretanto, minimamente, precisa ser bom pelo menos em duas: domínio e passe ou domínio e chute.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Princípios de jogo de ataque no Futsal


O futsal é uma modalidade classificada de Esporte Coletivo ou Jogo Desportivo Coletivo por possuir as seis variantes atribuídas a esta categoria e enunciar por: uma bola ou implemento similar, um espaço de jogo, adversários, parceiros, um alvo a atacar e outro para defender e regras específicas.

Princípios de jogo de ataque

Conservar a bola;

Progressão avançada dos jogadores com a bola ao gol adversário;

Ataque e finalização à meta contrária para conseguir o gol (VOSER, 2003).

O jogo de ataque consiste em estabelecer critérios que possam criar movimentações e surpreender o adversário, principalmente com jogadas treinadas. Dividindo a quadra em setores, podemos elaborar em séries de estratégias que treinadas podem traduzir em gols. Devemos lembrar que jogadas ensaiadas, são movimentações que não dever ser automatizadas pelo jogador e pela equipe, pois a criatividade e a habilidade fazem parte principalmente do jogo de futsal. A automatização de movimentos limita a equipe para uma liberdade de criação e ações técnicas consideradas importantes. As jogadas ensaiadas podem ser setorizadas em: tiros de meta, saída de jogo, escanteio, lateral, falta e movimentações de quadra conforme marcação do adversário.

Na nova tática do futsal, pouco se utiliza com os atletas a linguagem sistema e tática de jogo. Atualmente, os treinadores buscam desenvolver em suas equipes uma mecânica de jogo (padrão de movimentação) que possibilite a partir desta, uma série de alternativas para que se possa ludibriar o sistema defensivo da equipe adversária. Na maioria das vezes é necessário alguns meses de treinamento para que a equipe consiga executar esta mecânica com naturalidade

Os padrões de jogo são utilizados para uma movimentação de manutenção de posse de bola. Esses padrões visam estabelecer um estágio de equilíbrio na partida e aplicação de futuras jogadas ensaiadas. Algumas equipes utilizam padrões como:

Circular ou redondo: Visam uma movimentação de rodízio de jogadores por toda a quadra, seja pela direita, seja pela esquerda.

Quadrado: Visam uma movimentação em que exista sempre uma penetração de um jogador de defesa, trocando de posição com o pivô.

Penetração diagonal: O jogador de defesa sempre penetrará no ataque com uma movimentação diagonal em relação a linha lateral da quadra.

Penetração paralela: O jogador de defesa sempre penetrará no ataque com uma movimentação paralela à linha lateral da quadra (BELLO, 1998).

segunda-feira, 16 de março de 2015

Dica boa: 4 livros sobre Futsal


http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/06/Futebol_Salao_Pan2007.jpg

Uma grande parte das pessoas que acessam o nosso blog vem por motivos profissionais. Os motivos podem ser vários como tirar uma duvida sobre uma regra, saber mais sobre um treinamento específico ou até mesmo uma curiosidade sobre o esporte.

Sendo assim, separei 4 livros sobre futsal para trazer (AINDA MAIS) conhecimento para quem preocupar saber mais sobre esse esporte sensacional.

Olha a relação dos livros:
Livro - Futsal - Conceitos Modernos

Futsal - Da Iniciaçao Ao Alto Nivel

Livro - Futsal - Aquisição, Iniciação e Especialização

Livro - Futsal: O Berço do Futebol Brasileiro Volume 1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...