O passe no Futsal







O passe nada mais é do que a forma mais básica de comunicação entre dois jogadores. De acordo com Melo e Melo (2006) o passe é a forma de transportar a bola entre dois ou mais elementos de uma mesma equipe. Para Ferreira (1994) o passe é a "ação de enviar a bola a um companheiro ou determinado setor do espaço de jogo". O princípio básico é reter a bola o maior tempo possível, impossibilitando o adversário de tentar concluir uma ação tática ofensiva. O sentido lógico dos passes é envolver o adversário e deixar um atleta em condições de concluir ao gol (Zappa, 1947).

Devemos saber passar a bola a um companheiro de equipe que está em melhor situação a fim de concluir a jogada que se iniciou. Segundo Hargreaves (1990) é a segunda mais importante habilidade do futsal desde que este seja realizado com sucesso. O passe pode ser realizado de várias formas distintas, podendo ser dado com a sola, com a parte externa, com a parte interna, com o peito, com o calcanhar ou ainda com o “bico” do pé (Luxbacher, 1996; Asin, 1969; Borsari, 1989). Complementando o exposto acima Winterbottom (1954) fala que o passe pode ser feito também com a cabeça, em distâncias pequenas ou longas, pelo solo ou pelo ar.

Não se trata somente de lançar à bola a maior distância possível, é necessário e primordial colocar a bola com precisão (Asin, 1969). Segundo Costa (2007) passar é a forma que o jogador tem para movimentar a bola até um companheiro de equipe, para assim dar continuidade à jogada. Em teoria passar é fazer com que a posse de bola fique retira com uma das duas equipes, a perfeição desta ação permitirá a evolução das jogadas até o momento do chute ao gol.

Segundo Tenroller (2004), é a ação de interligar-se com os integrantes de uma equipe. É o fundamento técnico mais importante. É o elo de ligação num jogo. Acontece por muitas vezes no jogo e mais que qualquer outro fundamento. Para se ter uma idéia da importância desse fundamento, basta ver que quando uma equipe de alto nível sai de um jogo derrotado, no scalt é verificado um número acentuado de passes errados. As movimentações, as jogadas ensaiadas, ações técnicas, enfim, tudo fica prejudicado quando há ineficiência nesse fundamento.

Para Junior (1999), passe é a maneira como se bate na bola e implica que os atletas se comuniquem entre si dentro da quadra. É de fundamental importância para o rendimento da equipe, pois todos os sistemas táticos dependem desse fundamento. Para Filho (2000) deve-se observar não só a posição do companheiro para o qual se pretende passar a bola, como também à do adversário que o marca e, a partir daí, utilizar o tipo mais adequado para a situação e objetivo desejados.

Eles podem ser classificados de várias formas (SANTINI e VOSER, 2008). Quanto à dificuldade (passes básicos ou complexos); quanto à trajetória (rasteiros, meia altura ou altos); e quanto à distância (curtos, longos, médios, paralelos, diagonais, para frente ou para trás).


Comente:

Tecnologia do Blogger.