Importância dos Jogos Condicionados no treinamento de futsal






http://www.jornalexpresso.com.br/wp-content/uploads/2013/05/futsal3.jpg

    O esporte faz parte da vida do homem desde os primórdios da humanidade. A importância do jogo é fundamental para o individuo em vários aspectos: motores, tomadas de decisão, psicomotor, cognitivo e afetivo-social. Sabendo disso, o professor que transmite esse conhecimento aos alunos deve escolher um método de ensino que melhor se adapte ao público alvo. Segundo Costa (2003) dentro da metodologia de ensino do Futsal, podemos visualizar três métodos básicos de ensino: o método parcial, o método global e o método misto. O método parcial consiste no ensino do desporto Futsal por partes, através do desenvolvimento dos fundamentos, habilidades motoras que compõem o jogo por etapas, para ao final da aprendizagem, agrupá-los num todo, ou seja, em um único conjunto, que será o próprio jogo de Futsal. O método global consiste em desenvolver e proporcionar a aprendizagem do desporto através do próprio jogo. Ensinar alguma habilidade motora apresentando-a desde o inicio, e utilizando-a como forma de aprendizagem. O método misto possibilita a prática de exercícios isolados, bem como a iniciação ao jogo através das formas jogadas de futsal utilizando o método global e parcial.

    Graça e Oliveira (1998) complementam que existem diferentes formas de ensinar os jogos desportivos coletivos: a) Forma Centrada nas Técnicas – o aprendizado acontece através do ensino das técnicas analíticas para o jogo formal, o desporto é decomposto em elementos técnicos (passe, chute e outros), e existe uma hierarquização das técnicas. Como conseqüência acontece um jogo mecanizado, pouco criativo com comportamentos estereotipados, existindo problemas na compreensão do mesmo. b) Forma Centrada no Jogo Formal – no aprendizado existe uma utilização exclusiva do desporto formal, o mesmo não é condicionado nem decomposto, a técnica surge para responder a situações globais não orientadas. Como conseqüência ele é criativo, mas com base no individualismo, virtuosismo técnico contrastado com anarquia tática, com soluções motoras variadas, mas com inúmeras lacunas táticas e descoordenação das ações coletivas. c) Forma Centrada em Jogos Condicionados - o aprendizado acontece através do jogo para situações particulares, o mesmo é decomposto em unidades funcionais, ele é sistemático e de complexidade crescente, os princípios dos jogos regulam as atividades.

    Como conseqüência as técnicas surgem em função das táticas, de forma orientada e provocada, existe ênfase na inteligência tática com uma correta interpretação e aplicação dos princípios do jogo, favorecendo a viabilização da técnica e da criatividade nas ações do desporte. Para Balzano (2007), os jogos condicionados se objetivam em desenvolver situações específicas do desporto Futsal. Criam-se alternativas onde a finalidade é repetir estas circunstâncias por diversas vezes. Neste modelo o aluno/atleta executa e aprende os objetivos propostos, mas também, pratica o desporto Futsal e suas relações como: ataque, defesa, fundamentos técnicos, regras...

    Os mesmos pretendem estimular nos alunos/atletas à inteligência tática, técnica individual, noção de regras, autonomia, responsabilidade, poder de decisão, resolução dos problemas, criatividade e inclusão de uma forma dinâmica, motivadora e criativa. Desta maneira ele se faz importante para equipe, pois o mesmo se torna peça integrante do todo. O jogo condicionado permite ao aluno/atleta a utilização da criatividade que é a verdadeira arte num desporto. O mesmo estimula os jogadores a participar, pois se treina os gestos motores jogando, com pressão de um adversário, próximo da situação real que irá encontrar dentro do jogo formal. Essa prática integra os atletas com o que estão fazendo, levando-os a pensar, comprovar, trabalhar, ousar, lembrar, experimentar, criar e absorver. Para Santana (2004), estas práticas são fundamentais para o desenvolvimento dos jogadores, caracterizando-as como atividades competitivas, envolvendo regras aceitas pelo grupo, permeadas pela tensão e prazer, onde a fantasia se mistura à realidade. Segundo Costa (2003) os tipos de jogos condicionados são: Jogos técnicos, recreativos, táticos de ataque, táticos de defesa, com vantagem e desvantagem numérica e para funções específicas.

    Conforme Leães (2003) os jogos condicionados influenciam os atletas nas seguintes capacidades:

Capacidades coordenativas

    As capacidades coordenativas dizem respeito à técnica do jogador (passe, chute, drible, deslocamento e outros). Segundo Michels (1981 apud Leães 2003) "os jogos condicionados aumentam a participação do jogador, em função da proximidade da jogada, contribuindo para o desenvolvimento técnico-tático". Os jogos condicionados permitem que o jogador tenha um maior contado com a bola, e execute mais os objetivos pré-estabelecidos em um período de tempo menor e com uma visão global do jogo. Aumentando a participação do jogador, conseqüentemente acontece uma evolução técnica. Quanto mais o atleta tocar na bola, aumenta o índice de tomadas de decisão, com isso acontece um número maior de erros, e obriga o jogador a buscar novas soluções e métodos para minimizar os erros. Paralelamente a evolução técnica, desenvolve-se o raciocínio e a autonomia do atleta.

Capacidades das habilidades perceptivo-motoras e tomadas de decisão

    O processo perceptivo nos permite a relação da consciência corporal e o meio ambiente externo e interno (nosso corpo). Para Elliot/Mester (1998 apud Leães 2003) os jogos condicionados possibilitam ao jogador o reconhecimento da interação do seu corpo com o adversário, colegas e a bola. A tomada de decisão é a seleção da forma correta de agir, que o atleta encontra no momento que este é chamado para interferir no desporto.

    Com os jogos condicionados aumenta a freqüência de interação do jogador e as tomadas de decisão durante as partidas, acontecendo um progresso do mesmo dentro do jogo.

Capacidades táticas

    As movimentações executadas com e sem bola pelos jogadores e as capacidades coordenativas determinam o desempenho do atleta. Ao jogador não basta uma capacidade tática individual, mas também uma capacidade coletiva. Os jogos condicionados contribuem no desenvolvimento tático do atleta, pois o mesmo tem uma participação constante nas situações que ocorrem durante a partida. Estes exercitam as situações que acontecem durante os jogos varias vezes. Os jogos são um processo de ensino – aprendizagem contribuindo para formação tática do desportista.

Capacidades psicológicas

    Conforme Dorín (1995 apud Leães 2003), a motivação é um dos fatores que influenciam no processo de ensino – aprendizagem. A competição é instrumento imprescindível na motivação do atleta, e os jogos condicionados encaixam-se perfeitamente neste aspecto motivacional. Os ambientes competitivos e o prazer de jogar do atleta estimulam o processo. Para o desportista desempenhar seu papel satisfatório durante a partida é importante que o ambiente de trabalho seja motivante. Um treino monótono desestimula o atleta, e este leva para quadra estes sintomas. Segundo Luxbacher (1999) "os jogadores devem estar excitados e estimulados no processo de aprendizagem". Os jogadores devem conviver num ambiente saudável, desafiador e competitivo e sentir-se parte integrante e importante do contexto. É neste aspecto que os jogos se encaixam perfeitamente no processo.

Capacidades condicionais (físicas)

    As capacidades condicionais influenciam diretamente na performance do atleta e são interdependentes durante a partida. Os jogos condicionados além de influenciarem nos aspectos técnicos e táticos estão interligados as capacidades físicas (força, velocidade, resistência e outras). Para Carravetta (1997 apud Leães 2003) "a aplicação do jogo adaptado influencia na resistência anaeróbica dos jogadores, fator determinante nos jogos de futsal". Os mesmos por serem de grande intensidade e movimentação estimulam várias valências físicas necessárias para o jogador de futsal, contribuindo com o trabalho físico do preparador, tomando o cuidado para não sobrecarregar o atleta. Com esta importância dos jogos, na formação integral do desportista, torna-se importante programar (periodizar) o treinamento do jogador para atingir todas as suas capacidades de maneira linear.

Fonte


Comente:

Tecnologia do Blogger.